Perfil de Miguel Barbosa do Rosário

Graduação em Português-Latim na antiga FNFi (Faculdade Nacional de Filosofia da UB (Universidade do Brasil), hoje Faculdade de Letras da UFRJ

Mestrado em linguística. Razões diversas me impediram de defender a Dissertação de Mestrado, sendo a mais forte a mudança de meu orientador, John W. Martin, para Campinas, onde passou a atuar na Unicamp. Terminei, no entanto, todos os créditos necessários à obtenção do título de Mestre.

Doutorado em Letras Clássicas na Faculdade de Letras da UFRJ, com a tese A Minerva e algumas de suas repercussões, de Francisco Sánchez de las Brozas.

Minha ligação com a UFRJ teve início em 1961/1962, quando cursei o pré-vestibular para o ingresso na Universidade, na época organizado e dirigido pelo Diretório Acadêmico. Iniciei o curso de graduação em 1963, tendo terminado em 1966. Em 1967 fui convidado por meu ex-professor de latim e de português do pré-vestibular para dar aula de latim no Curso Pré-Vestibular Platão, que preparava os candidatos na área de Humanas.

Minha carreira como docente na Faculdade de Letras teve início em 1968, junto ao Departamento de Letras Clássicas. Fui acolhido pela Professora Sieglinde Monteiro Barbosa Autran, que aceitou minha indicação como professor de latim. Foi o ano em que o Professor Afrânio Coutinho conseguiu junto ao MEC ampliar o número de vagas para 500 (eram 50 vagas apenas). Houve necessidade da contratação de muitos professores que mais tarde tiveram que submeter-se a concurso público. Foi um ano de muita efervescência política, com a participação intensa dos alunos, que queriam mudanças na estrutura curricular, obtida após várias reuniões dos professores e alunos.

Depois da obtenção do título de Doutor, passei a integrar o corpo docente também da pós-graduação, da qual posteriormente fui Diretor.

Sob a Coordenação do Prof. Carlos Antonio Kalil Tannus, elaborei, juntamente com outros colegas do Setor de Latim, a saber, Livia Lindóia Paes Barreto, Luiz Carlos Stamato Marcelino de Carvalho, Mara Rodrigues Vieira, Vera Regina Figueiredo Bastian, o manual de latim O Latim e suas estruturas, que até hoje é adotado na Faculdade de Letras da UFRJ, única no Brasil que oferece quatro semestres de Latim nos diversos cursos de graduação. A abordagem do latim ali formulada é altamente inovadora. Examina-se o latim sob uma perspectiva estrutural, sem vinculá-lo necessariamente ao plano histórico. Era do entendimento da Equipe (e continua a ser o meu ) que o latim, ainda que proveniente do grupo itálico, e este por sua vez do grupo indo-europeu, pode ser estudado sem que se examine este vínculo histórico. Nossa proposta é abordar o latim como uma língua qualquer, o que na época em que o método foi elaborado não foi claramente entendido, visto que só se entendia o estudo das línguas, de uma forma geral, em um plano histórico, sobretudo as línguas clássicas.

Cumpre ainda enfatizar que nossa proposta de ensino do latim permite ao aluno um aprendizado prazeroso, sem que ele seja submetido a um estudo estéril, insosso, insípido. São quatro módulos divididos pelos semestres em que o latim é ensinado. O professor tem um rico material que ele pode enriquecer a cada aula, tornando o curso não só prazeroso, como também uma referência necessária aos diversos cursos, cuja língua-mãe seja o latim, como o de português-literaturas, português-francês, português-italiano, português-espanhol.

Essas são as informações sobre o autor do presente blog, cuja finalidade primeira é divulgar meu material neste veículo poderosíssimo que é a internet.

Voltar